Login

MARFLAT

MARFLAT é a sigla para "Monitoramento de Alta Resolução de Florações de Algas Tóxicas". Altas densidades de fitoplâncton tóxico são relativamente incomuns em águas costeiras do Estado de São Paulo, mas a atividade de cultivo de moluscos na área nos levou a propor e executar este projeto de pesquisa para adquirir informação de base sobre as espécies existentes e seu potencial efeito no ecossistema. O projeto teve dois componentes:

1) Um programa de monitoramento com amostragens diárias de plâncton coletadas entre abril de 2009 e abril de 2010 em uma estação fixa localizada na praia da Cocanha, Caraguatatuba, onde está o cultivo mais extenso de moluscos do Estado. A análise das amostras foi realizada com uma FlowCAM. Além da estação fixa, nós visitamos mensalmente outras sete localidades na costa norte de São Paulo entre janeiro de 2009 e março de 2010 para coletar amostras e dados ambientais. Esse componente foi executado em conjunto com a Dra. Gleyci Moser (UERJ) e o Dr. Juan Alba (UNIFESP-Santos).

2) Experimentos para quantificar as respostas do zooplâncton à variadas concentrações e combinações de diniflagelados potencialmente tóxicos, bem como dos exsudatos de suas células.

O projeto foi financiado pela FAPESP e pelo CNPq.

 

marflat1

FlowCAM disponível no Laboratório de Ubatuba, financiada pela FAPESP, projeto MARFLAT. As imagens no canto superior direito são de uma cultura de Tetraselmis, utilizada em experimentos de alimentação e produção de ovos durante o projeto.

Esquerda: Utilizando uma bomba portátil para coletar amostras de plâncton na praia da Cocanha, Caraguatatuba. Os flutuadores dos longlines de mexilhões são visíveis ao fundo. Direita: Conjunto de imagens capturadas pela FlowCAM a partir de uma amostra natural de plâncton, coletada no mesmo local.